Setor imobiliário se mostra otimista com governo Bolsonaro

Pesquisa Termômetro do GRI Club ouviu 175 líderes do mercado logo após resultado das eleições.


Brasil / Novembro de 2018

Terminada a corrida eleitoral mais polarizada da história nacional, que cercou de incertezas o cenário político-econômico por vários meses e colocou muitos negócios e investimentos em compasso de espera, o mercado imobiliário parece viver uma espécie de 'efeito lua de mel'. O Termômetro do GRI Club Infra Real Estate capturou, imediatamente após o resultado das urnas, uma explosão do nível de otimismo por parte dos líderes do setor.


Mais de 82% dos 175 empresários, investidores e altos executivos de companhias do mercado imobiliário atuantes no País, ouvidos pelo GRI Club entre 29 de outubro e 1º de novembro, dizem nutrir expectativas boas ou excelentes quanto ao novo governo federal, a partir da posse de Jair Bolsonaro.


"A fatia dos que consideram os efeitos das eleições positivos para seus negócios saltou de 30% em agosto para 85,1% agora. Além disso, o entendimento majoritário dos líderes do setor, conforme a pesquisa, é de que os impactos tendem a ser médios ou altos e potencialmente duradouros", destaca Gustavo Favaron, CEO do GRI Club.


Favaron apresentou os principais resultados do Termômetro do GRI Club durante o Brazil GRI 2018, evento que reuniu os maiores nomes da indústria imobiliária em São Paulo nos dias 6 e 7 de novembro para debater os rumos do mercado.



Expectativas para economia e negócios


Quando se trata do desempenho da economia nacional nos próximos 12 meses, as projeções se mostram ainda mais favoráveis: 93,1% dos consultados pelo GRI Club apontam para números melhores ou muito melhores na comparação com o período anterior. Trata-se de um aumento de 40,4 pontos percentuais em relação ao que se observava em agosto.


As expectativas dos entrevistados quanto à performance de suas empresas também evoluíram: 72,4% contam com resultados bons ou excelentes nos 12 meses a seguir. Em agosto, essa fatia havia caído para 56,3%.


Embalada pelo humor revigorado, a maioria (64,9%) revela que suas companhias estão investindo e/ou ampliando o nível de negócios. Os segmentos imobiliários preferidos seguem os mesmos das últimas apurações. Residencial, loteamentos e galpões lideram a lista.